Nosso endereço

Início da Estrada do 53º BIS, s/nº ( Ao lado do IBAMA) Bairro Bom Jardim - Itaituba - PA. CEP: 68180-000

E-mail: ceacaminhodaluz2011@gmail.com

Site: http://www.ceacluz.com.br



sábado, 30 de abril de 2011

Palestra Pública - 30.04.2011 - O Espiritismo e o aborto

A palestra pública do dia 30.04.2011 teve como tema " A visão espírita do aborto" e foi ministrada em conjuno pelo colaborador Raimundo Afonso, de Belém e a colaboradora Liz Carmem sócia do CEACLUZ. Vários enfoques sobre o tema foram tratados. O evento foi concluído com um caloroso debate aberto aos participantes.

















Mensagem - Médium Raul Teixeira

Vida e Valores (Amor aos inimigos)

Aprendestes o que foi dito: Amareis os vossos amigos e odiareis os vossos inimigos. Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem, que vos caluniam. Este foi o ensinamento deixado por Jesus.
O Mestre Nazareno, em Sua passagem pela Terra, tratou de regulamentar para nossa mentalidade várias dessas virtudes que, para Sua época, eram plenamente incompatíveis com o caráter geral da sociedade.
Era de praxe, à época de Jesus Cristo, devotar um ódio irracional aos inimigos. Aqueles que mereciam as atenções, os cuidados, o carinho eram tão somente os amigos.
Esse regime social, esse modo de viver, naturalmente se constituía em geratriz de muitos problemas para as vidas, para as almas, para o futuro.
Então, Jesus Cristo tratou de atualizar o ensinamento, fazendo com que a sociedade refletisse a respeito dos malefícios de se devotar ódio àqueles supostamente nossos inimigos.
Ele levanta o aprendizado ancestral: Aprendestes o que foi dito... Relegava isso ao passado. Eu, porém, vos digo, agora no presente: Amai, orai.
Jesus Cristo foi o grande reformulador desses costumes sociais que relacionavam as pessoas entre si.
É tão importante perceber que, na lucidez do Mestre Nazareno, Ele não estaria, de nenhuma forma, determinando que deveríamos ter pelos nossos inimigos, por aqueles a quem não dedicamos nenhuma confiança, por aqueles que não gostam de nós, a mesma ternura, a mesma consideração, o mesmo aconchego que devotamos a um irmão, a um amigo, a uma pessoa do nosso coração.
Nada obstante, o fato de não termos como abrir a alma para os inimigos não significa que deveremos dedicar-lhes o mal. Significa que vamos desejar para eles todas as coisas boas.
O nosso pensamento em direção a eles serão pensamentos de fraternidade a fim de que, nessa luta cotidiana pelo equilíbrio, tenhamos a certeza de que, ainda que nos deparemos com vários inimigos, opositores, antagonistas nossos, a nossa postura, principalmente para quem se apoia nas lições de Jesus Cristo, será a postura fraternal: Aprendestes o que foi dito. Eu, porém, vos digo...
O Espiritismo nos apresenta Jesus Cristo como o Modelo e Guia da Humanidade, o maior Espírito, diga-se de passagem, que o mundo já recebeu para servir-lhe de Modelo e Guia.
Graças a isso, aqueles que queremos pautar a própria conduta pelos ensinamentos de Jesus Cristo deveremos estar atentos para essa questão.
Amar os inimigos não significa trazê-los para nossa mesa de imediato, abrir-lhes o nosso coração de uma vez, mas vamos colocando as coisas nos seus devidos lugares.
Seremos capazes de reconhecer, por exemplo, que os nossos inimigos têm virtudes. Eles podem não se compatibilizar bem conosco. Poderemos não estar compatíveis com eles, com seus hábitos, com sua maneira de ser, mas não teremos como negar as peculiaridades positivas, as virtudes daqueles que, neste momento, se apresentam como nossos inimigos.
Daí, quando Jesus propõe amar os inimigos é com essa extensão do amor antagonista do ódio, do desamor.
Quando Ele propõe orarmos por aqueles que nos sejam perseguidores, caluniadores, é exatamente para que saiamos da sintonia do perseguidor, do caluniador, do malfeitor.
Se empreendermos um debate mental com eles, uma agressividade psíquica com eles, nos atrelamos, passamos a nos vincular aos seus maus hábitos, àquilo que eles estejam realizando de negativo e não teremos qualquer autoridade moral de fugir das consequências dessa tragédia interior.
*   *   *
O cultivo do ódio é, fundamentalmente, desastroso para o odiento.
É muito comum observarmos, na vida social, aquelas criaturas malignas, para quem se deseja o mal, como elas sempre estão mais gordas, mais bonitas, mais poderosas, mais ricas, enquanto que o odiento se depaupera, se aniquila, se aturde e se frustra porque seus ideais de prejudicar o outro não encontram eco nas Leis de Deus.
Ninguém precisa odiar alguém para que esse alguém responda por seus atos diante das Divinas Leis.
Quando desenvolvemos, no âmago do ser, essas energias do ódio, da malquerença, nos assemelhamos a uma criatura que estivesse carregando lixo no seu próprio coração.
Imaginemos alguém carregando lixo no seu coração. Seria como um lençol freático, como uma fonte de água pura conspurcada pelo lixo, pela poluição, por tudo aquilo que prejudica a qualidade da linfa.
Alguém que carregue ódio em seu coração será fatalmente alguém doente e portador de doença tal que será capaz de levá-lo à morte moral.
O desespero que assoma a criatura odienta não tem tamanho. Quanto mais o objeto de seu ódio cresce, se desenvolve, conquista vitórias, mais o odiento se aturde, se sente infelicitado.
Quando Jesus propôs amar aos inimigos era uma medida de salubridade, era uma medida de saúde para o próprio odiento sair da faixa do ódio que  vincula a energias muito negativas, muito baixas da existência.
Amai os vossos inimigos é uma lição medicamentosa porque ninguém conseguirá ser feliz em sua intimidade, carregando detritos no próprio ser, carregando detritos no próprio coração.
A partir disto, embora saibamos da importância de dedicar pensamentos bons aos nossos inimigos, o que não significa concordar com seus atos ruins, com sua forma de viver desajustada, faz com que nos vacinemos, vale repetir isto, contra mazelas mais graves que nos aturdem.
Em toda parte ouvimos falar de baciloses, de viroses, micro-organismos que vão devastando o organismo humano, o nosso organismo animal.
Mas, como é que esses micróbios sobrevivem em nosso corpo realizando toda essa sorte de tragédias morais, físicas?
Tudo isso ocorre porque o portador do bacilo, da bactéria ou do vírus carrega um tipo de energia, desenvolve um tipo de fluido profundamente nutriente para esses micro-organismos, para essas microvidas.
Por isso, é comum encontrarmos as pessoas que têm a saúde fragilizada, quando se aborrecem, quando se irritam, quando passam a odiar,  piorarem o seu quadro patológico.
É a própria criatura desligada do amor, do bem, da harmonia que faculta a esses micróbios a possibilidade de desenvolver-se em sua intimidade.
Então, a forma salutar de nos autovacinar contra essas tragédias exteriores, é o cultivo do amor, o que levou muitos pensadores, muitos médicos a defender a tese de que quem ama não adoece.
Aquelas criaturas capazes de amar desenvolvem em si uma ligação tão grande com as fontes da saúde que não adoecem mais.
Na dificuldade, apelemos para Jesus, o Médico das almas, e lembremo-nos do saudoso médium brasileiro Francisco Cândido Xavier, quando estabeleceu numa pergunta que lhe foi feita sobre o seu estado de saúde: Eu sou um doente são.
Ele estava resgatando recursos, problemas de outras existências, estava resgatando erros do seu passado, mas não estava contraindo novos erros na atualidade.  Então, ele era um doente são, amando os inimigos e orando por todos os seus caluniadores.

Transcrição do Programa Vida e Valores, de número 207, apresentado por Raul Teixeira, sob coordenação da Federação Espírita do Paraná.
Programa gravado em agosto de 2009.
                                                                         Em 25.04.2011.

Mensagem - Site Gotas de Paz

O progresso nos impulsona

PostadO progresso nos impulsiona para um caminho cheio de conhecimento
e desenvolvimento, é com o progresso que temos uma visão
amplificada de nossos objetivos individuais e em grupo.
E é esse progresso que nos leva a mudança de comportamento
individual e em grupo, porque só o conhecimento prático da vida
que nos faz crescer, porque aprendemos com nossas dificuldades
e aprendemos que sozinhos não chegaremos a lugar algum,
dependemos uns dos outros para desenvolvermos nosso potencial.
Com o progresso, não conseguimos ficar alheios aos acontecimentos,
temos que tomar uma postura e seguirmos adiante.
Esses acontecimentos é que nos impulsionam a melhorar
e a crescer, porque desenvolvemos em nós uma capacidade
de vivermos em harmonia onde buscamos o bem de todos
que estão na mesma busca que nós.
Quando estamos convictos de nossos objetivos de vida,
somos companheiros do progresso, porque estamos sempre
procurando o melhor para nós e para os que convivem conosco.
Busque a caridade para com aqueles que ainda estão estacionados
no tempo e não conseguem seguir adiante, ajude seu irmão
a continuar caminhando, pois desta forma você estará contribuindo
não só para o seu progresso, mas estará contribuindo
para o progresso de todos.
Não se utilize do egoísmo e da vaidade para progredir,
porque esse progresso virá pela metade, o progresso necessário
é aquele onde buscamos caminhar todos juntos para um bem comum.

Fonte: Site Gotas de Paz

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Memsagem - Federação Espírita Brasileira


SENTIMENTOS FRATERNOS



 “Quanto, porém, à caridade fraternal, não necessitais de que vos escreva, visto que vós mesmos estais instruídos por Deus que vos ameis uns aos outros.” — Paulo. (1ª EPÍSTOLA AOS TESSALONICENSES, CAPÍTULO 4, VERSÍCULO 9.)


Forte contra-senso que desorganiza a contribuição humana, no divino edifício do Cristianismo, é o impulso sectário que atormenta enormes fileiras de seus seguidores.

Mais reflexão, mais ouvidos ao ensinamento de Jesus e essas batalhas injustificáveis estariam para sempre apagadas.

Ainda hoje, com as manifestações do plano espiritual na renovação do mundo, a cada momento surgem grupos e personalidades, solicitando fórmulas do Além para que se integrem no campo da fraternidade pura.

Que esperam, entretanto, os companheiros esclarecidos para serem efetivamente irmãos uns dos outros?

Muita gente se esquece de que a solidariedade legítima escasseia nos ambientes onde é reduzido o espírito de serviço e onde sobra a preocupação de criticar. Instituições notáveis são conduzidas à perturbação e ao extermínio, em vista da ausência do auxílio mútuo, no terreno da compreensão, do trabalho e da boa-vontade.

Falta de assistência? Não.

Toda obra honesta e generosa repercute nos planos mais altos, conquistando cooperadores abnegados.

Quando se verifique a invasão da desarmonia nos institutos do bem, que os agentes humanos acusem a si mesmos pela defecção nos compromissos assumidos ou pela indiferença ao ato de servir. E que ninguém peça ao Céu determinadas receitas de fraternidade, porque a fórmula sagrada e imutável permanece conosco no “amai-vos uns aos outros”.

Do livro Pão Nosso

Fonte: Federação Espírita Brasileira

Pense em Mim

Se você me ama, não chore.

Se você conhecesse o mistério insondável do céu onde me encontro…

Se você pudesse ver e sentir o que eu sinto e vejo nesses horizontes sem fim e nesta luz que, tudo alcança e penetra, você jamais choraria por mim.

Estou agora absorvido pelo encanto de Deus, pelas suas expressões de infinita beleza.

Em confronto com esta nova vida, as coisas do tempo passado, são pequenas e insignificantes.

Conservo ainda todo o meu afeto por você e uma ternura que jamais lhe pude, em verdade, revelar.

Amamo-nos ternamente em vida, mais tudo era então muito fugaz e limitado.

Vivo na serena expectativa de sua chegada, um dia … entre nós.

Pense em mim assim: nas suas lutas pense nesta maravilhosa morada, onde não existe a morte e onde, juntos, viveremos no enlevo mais puro e mais intenso, junto à fonte inesgotável da alegria e do amor.

Se você verdadeiramente me ama, não chore mais por mim.
“EU ESTOU EM PAZ”

EP – Momentos -80
Fonte:  Site A Jornada

Fonte: Site Doutrina Espírita - Luz da Razão



quinta-feira, 28 de abril de 2011

Caravana do Evangelho 2011 - Início

Primeira visita. Pedro ( visitado) e Sirlene ( membro da Caravana)

Centro Espírita A Caminho da Luz - Itaituba/PA

Caravana do Evangelho 2011 - Início

Iniciou no dia de ontem 27.04.2011 a Caravana do Evangelho de 2011 que tem por objetivo levar o Evangelho ao Lar de todos. Quem sentir vontade de receber a caravana do Evangelho em sua casa basta fazer uma solitação no próprio centro agendando a visita. Aos colaboradores interessados em integrar a Caravana basta entrar em contato com a Cláudia, Sirlene e Tânia. 

Mensagem - FEB - Federação Espírita Brasileira

OBREIRO SEM FÉ


*
"... e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras".(TIAGO, 2:18).


Em todos os lugares, vemos o obreiro sem fé, espalhando inquietação e desânimo.

Devota-se a determinado empreendimento de caridade e abandonao, de início, murmurando:"Para quê? O mundo não presta."

Compromete-se em deveres comuns e, sem qualquer mostra de persistência, se faz demissionário de obrigações edificantes, alegando: - "Não nasci para o servilismo desonroso.

Aproxima-se da fé religiosa, para desfrutar-lhe os benefícios, entretanto, logo após, relega-a ao esquecimento, asseverando: -"Tudo isto é mentira e complicação."

Se convidado a posição de evidência, repete o velho estribilho: - "Não mereço! sou indigno!..."

Se trazido a testemunhos de humildade, afirma sob manifesta revolta: - "Quem me ofende assim?"

E transita de situação em situação, entre a lamúria e a indisciplina, com largo tempo para sentir-se perseguido e desconsiderado.

Em toda parte, é o trabalhador que não termina o serviço por que se responsabilizou ou o aluno que estuda continuadamente, sem jamais aprender a lição.

Não te concentres na fé sem obras, que constitui embriaguez perigosa da alma, todavia, não te consagres à ação, sem fé no Poder Divino e em teu próprio esforço.

O servidor que confia na Lei da Vida reconhece que todos os patrimônios e glórias do Universo pertencem a Deus. Em vista disso, passa no mundo, sob a luz do entusiasmo e da ação no bem incessante, completando as pequenas e grandes tarefas que lhe competem, sem enamorar-se de si mesmo na vaidade e sem escravizar-se às criações de que terá sido venturoso instrumento.

Revelemos a nossa fé, através das nossas obras na felicidade comum e o Senhor conferirá à nossa vida o indefinível acréscimo de amor e sabedoria, de beleza e poder.

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL



Fonte: FEB - FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA - FEB - Federação Espírita Brasileira - SGAN 603 - Conjunto F - Av. L2 Norte - Brasília - DF - CEP 70.830-030 - Telefone: (61) 2101 6161

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Mensagem - Federação Espírita Brasileira

UNIÃO FRATERNAL


*
  "Procurando guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz." - Paulo. (EFÉSIOS, 4:3.)


À frente de teus olhos, mil caminhos se descerram, cada vez que te lembras de fixar a vanguarda distante.
     
São milhões de sendas que marginam a tua.
     
Não olvides a estrada que te é própria e avança, destemeroso.

Estimarias, talvez, que todas as rotas se subordinassem à tua e reportas-te à união, como se os demais viajores da vida devessem gravitar ao redor de teus passos.:.
   
Une-te aos outros, sem exigir que os outros se unam a ti.
   
Procura o que seja útil e belo, santo e sublime e segue adiante...
     
A nascente busca o regato, o regato procura o rio e o rio liga-se ao mar.
   
Não nos esqueçamos de que a unidade espiritual é serviço básico da paz.
   
Observas o irmão que se devota às crianças?
     
Reparas o companheiro que se dispôs a ajudar aos doentes?
  
Identificas o cuidado daquele que se fez o amigo dos velhos e dos jovens?
     
Assinalas o esforço de quem se consagrou ao aprimoramento do solo ou à educação dos animais?
     
Aprecias o serviço daquele que se converteu em doutrinador na extensão do bem?
     
Honra a cada um deles, com o teu gesto de compreensão e serenidade, convencido de que só pelas raízes do entendimento pode sustentar-se a árvore da união fraterna, que todos ambicionamos robusta e farta.
     
Não admitas que os outros estejam enxergando a vida através de teus olhos.
     
A evolução é escada infinita. Cada qual abrange a paisagem de acordo com o degrau em que se coloca.
     
Aproxima-te de cada servidor do bem, oferecendo-lhe o melhor que puderes, e ele te responderá com a sua melhor parte.
     
A guerra é sempre o fruto venenoso da violência.
     
A contenda estéril é resultado da imposição.
     
A união fraternal é o sonho sublime da alma humana, entretanto, não se realizará sem que nos respeitemos uns aos outros, cultivando a harmonia, à face do ambiente que fomos chamados a servir.
     
Somente alcançaremos semelhante realização "procurando guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz".

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL

Fonte: Federação Espírita Brasileira

Mensagem - Site Gotas de Paz

O adultério em nossos sentimentos

Quando falamos em adultério nos vem à mente o adultério cometido numa relação homem e mulher.
Mas existe o adultério para com nossos sentimentos, somos adúlteros todas as vezes que nos deixamos levar por pensamentos e sentimentos inferiores, alimentando-os em nossos corações.
Somos adúlteros quando alimentamos em nós, o ódio, o rancor, a mentira e outros sentimentos escusos que adquirimos com o passar do tempo.
Falamos dessa forma, de sermos adúlteros, porque achamos estar enganando o nosso Pai Celestial, fazendo de conta que somos bons e por dentro de nossos corações estamos exalando sentimentos que só levam dor e sofrimento.
Para alcançarmos nossa modificação interior e emanarmos somente sentimentos bons, devemos nos livrar do adultério para com o nosso Pai Celestial, devemos oferecer a ele, nossa sinceridade e nosso arrependimento verdadeiro de nossas faltas.
Não sejamos adúlteros diante do Pai da Vida, porque estamos enganando a nós mesmos, porque ele sabe tudo o que se passa em nosso íntimo.
Façamos nossa reforma interior sempre pautada pela verdade de nossos sentimentos e o Amor para com aqueles que esperam de nós sempre o melhor dos sentimentos o Amor verdadeiro.
Dessa forma estaremos conquistando a lealdade para com nosso Pai Celestial e para com àqueles que nos acompanham na caminhada da vida.
Fonte: Site Gotas de Paz

Biografia Espírita - Federação Espírita do Paraná



Antônio Gonçalves da Silva
(Batuíra)
1838-1909

Nascido a 26 de dezembro de 1838, em Portugal, na Vila Meã, freguesia de São Tomé do Castelo, concelho de Vila Real e desencarnado em São Paulo, no dia 22 de janeiro de 1909.

Completada a sua instrução primária, veio para o Brasil, com apenas doze anos de idade, aportando no Rio de Janeiro, a 3 de janeiro de 1850.

Seu nome de origem era Antônio Gonçalves da Silva, entretanto, devido a ser um moço muito ativo, correndo daqui para acolá, a gente da rua o apelidara "o batuíra", o nome que se dava à narceja, ave pernalta, muito ligeira, de voo rápido, que frequentava os charcos na várzea formada, no atual Parque D. Pedro II, em S. Paulo, pelos transbordamentos do rio Tamanduateí. Desde então o cognome Batuíra foi incorporado ao seu nome.

Batuíra desempenhou uma série de atividades que não cabe registrar nesta concisa biografia, entretanto, podemos afirmar que defendeu calorosamente a idéia da abolição da escravatura no Brasil, quer seja abrigando escravos em sua casa e conseguindo-lhes a carta de alforria, ou fundando um jornalzinho a fim de colaborar na campanha encetada pelos grandes abolicionistas Luiz Gama, José do Patrocínio, Raul Pompéia, Paulo Ney, Antônio Bento, Rui Barbosa e tantos outros grandes paladinos das idéias liberais.

Homem de costumes simples, alimentando-se apenas de hortaliças, legumes e frutas, plantava no quintal de sua casa tudo aquilo de que necessitava para o seu sustento. Com as economias, adquiriu os então desvalorizados terrenos do Lavapés, em S. Paulo, edificando boa casa de residência e, ao lado dela, uma rua particular com pequenas casas que alugava a pessoas necessitadas. O tempo contribuiu para que tudo ali se valorizasse, propiciando a Batuíra apreciáveis recursos financeiros. A rua particular deveria ser mais tarde a Rua Espírita, que ainda lá está.

Tomando conhecimento das altamente consoladoras verdades do Espiritismo, integrou- se resolutamente nessa causa, procurando pautar seus atos nos moldes dos preceitos evangélicos. Identificou- se de tal maneira com os postulados espíritas e evangélicos que, ao contrário do "moço rico" da narrativa evangélica, como que procurando dar uma demonstração eloquente da sua comunhão com os preceitos legados por Jesus Cristo, desprendeu-se de tudo quanto tinha e pôs-se a seguir as Suas pegadas. Distribuiu o seu tesouro na Terra, para entrar de posse daquele outro tesouro do Céu.

Tornou-se um dos pioneiros do Espiritismo no Brasil. Fundou o "Grupo Espírita Verdade e Luz", onde, no dia 6 de abril de 1890, diante de enorme assembléia, dava início a uma série de explanações sobre "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

Nessa oportunidade deixara de circular a única publicação espírita da época, intitulada "Espiritualismo Experimental" redigida desde setembro de 1886, por Santos Cruz Junior. Sentindo a lacuna deixada por essa interrupção, Batuíra adquiriu uma pequena tipografia, a que denominou "Tipografia Espírita", iniciando a 20 de maio de 1890, a publicação de um quinzenário de quatro páginas com o nome "Verdade e Luz", posteriormente transformado em revista e do qual foi o diretor responsável até a data de sua desencarnação. A tiragem desse periódico era das mais elevadas, pois de 2 ou 3 mil exemplares, conseguiu chegar até 15 mil, quantidade fabulosa naquela época, quando nem os jornais diários ultrapassavam a casa dos 3 mil exemplares. Nessa tarefa gloriosa e ingente Batuíra despendeu sua velhice. Era de vê-lo, trôpego, de grandes óculos, debruçado nos cavaletes da pequena tipografia, catando, com os dedos trêmulos, letras no fundo dos caixotins.

Para a manutenção dessa publicação, Batuíra despendeu somas respeitáveis, já que as assinaturas somavam quantia irrisória. Por volta de 1902 foi levado a vender uma série de casas situadas na Rua Espírita e na Rua dos Lavapés, a fim de equilibrar suas finanças.

Não era apenas esse periódico que pesava nas finanças de Batuíra. Espírito animado de grande bondade, coração aberto a todas as desventuras, dividia também com os necessitados o fruto de suas economias. Na sua casa a caridade se manifestava em tudo: jamais o socorro foi negado a alguém, jamais uma pessoa saiu dali sem ser devidamente amparada, havendo mesmo muitas afirmativas de que "um bando de aleijados vivia com ele". Quem ali chegasse, tinha cama, mesa e um cobertor.

Certa vez, um desses homens que vivia sob o seu amparo, furtou-lhe um relógio de ouro e corrente do mesmo metal. Houve uma denúncia e ameaças de prisão. A esposa de Batuíra 1amentou-se, dizendo: É o único objeto bom que lhe resta. Batuíra, porém, impediu que se tomasse qualquer medida, afirmando: Deixai-o, quem sabe precisa mais do que eu.

Batuíra casou-se em primeiras núpcias com Da. Brandina Maria de Jesus, de quem teve um filho, Joaquim Gonçalves Batuíra, que veio a desencarnar depois de homem feito e casado. Em segundas núpcias, casou-se com Da. Maria das Dores Coutinho e Silva; desse casamento teve um filho, que desencarnou repentinamente com doze anos de idade. Posteriormente adotou uma criança retardada mental e paralítica, a qual conviveu em sua companhia desde 1888.

Figura bastante popular em S. Paulo, Batuíra tornou-se querido de todos, tendo vários órgãos da imprensa leiga registrado a sua desencarnação e apologiado a sua figura exponencial de homem caridoso e dedicado aos sofredores.

Fonte: Grandes vultos do Espiritismo - A vida surpreendente de Batuíra
Apolo Oliva Filho e Boletim SEI n. 2149, ed Lar Fabiano de Cristo.
Em 14.07.2009.


Antônio Gonçalves da Silva (Batuíra), nasceu a 26 de dezembro de 1838, em Portugal, na Vila Meã, freguesia de São Tomé do Castelo, concelho de Vila Real.

Aos doze anos, imigrou para o Brasil, vivendo três anos no Rio de Janeiro, transferindo-se depois para Campinas (São Paulo), onde trabalhou por alguns anos na lavoura.

Mais tarde, fixou residência na Capital bandeirante, dedicando-se à venda de jornais. Naquela época, São Paulo era uma cidade de 30 mil habitantes. Ele entregava os jornais de casa em casa, conquistando nessa profissão a simpatia e a amizade dos seus fregueses. Muito ativo, correndo daqui para acolá, a gente da rua o apelidava "O Batuíra" (nome que o povo dava à narceja, ave pernalta, muito ligeira, de voo rápido, que frequenta os charcos, à volta dos lagos).

Convivendo com os acadêmicos de Direito do Largo de São Francisco passou a dedicar-se à arte teatral: montou pequeno teatro à rua Cruz Preta (depois denominada rua Senador Quintino Bocaiúva). Quando aparecia em cena, Batuíra era aplaudido e os estudantes lhe dedicavam versos como estes:

Salve grande Batuíra

Com seus dentes de traíra

Com seus olhos de safira

Com tua arte que me inspira

Nas cordas de minha lira

Estes versos de mentira.

 Àquela altura da sua vida passou a fabricar charutos, o que fez prosperar as suas finanças. Adquiriu diversos lotes de terrenos no Lavapés, onde construiu sua residência e, ao lado, uma rua particular de casas que alugava aos humildes e que hoje se chama Rua Espírita.

De espírito humanitário e idealista, aderiu, desde logo, à Campanha Abolicionista, trabalhando denodadamente ao lado de Luiz Gama e de Antônio Bento. Em sua casa, abrigava os escravos foragidos e só os deixava sair com a Carta de Alforria.

Despertado pela Doutrina Espírita, exemplificou no mais alto grau os ensinamentos cristãos: praticava a caridade, consolava os aflitos, tratava os doentes com a Homeopatia e difundia os princípios espíritas. Fundou o jornal "Verdade e Luz", em 25 de maio de 1890, que chegou a ter uma tiragem de cinco mil exemplares. Abriu mão dos seus bens em favor dos necessitados.

A sua casa no Lavapés era, ao mesmo tempo, hospital, farmácia, albergue, escola e asilo. Ele a doou para sede da Instituição Beneficente "Verdade e Luz". Recolhia os doentes e os desamparados, infundindo-lhes a fé necessária para poderem suportar suas provas terrenas. A propósito disso, dizia-se de Batuíra: Um bando de aleijados vivia com ele.

Quem chegasse à sua casa, fosse lá quem fosse, tinha cama, mesa e cobertor.

De suas primeiras núpcias com dona Brandina Maria de Jesus, teve um filho, Joaquim Gonçalves Batuíra que veio a se casar com dona Flora Augusta Gonçalves Batuíra. Das segundas núpcias teve outro filho que desencarnou aos doze anos. Mas, apesar disso, Batuíra era pai de quase toda gente. Exemplo disso foi o Zeca, que Batuíra recebeu com poucos meses e criou como seu filho adotivo, o qual se tornou continuador da sua obra na instituição beneficente que ele fundara.

Eis alguns traços da personalidade de Batuíra, pela pena do festejado escritor Afonso Schmidt: Em 1873, por ocasião da terrível epidemia de varíola que assolou a capital da Província, ele serviu de médico, de enfermeiro, de pai para os flagelados, deu-lhes não apenas o remédio e os desvelos, mas também o pão, o teto e o agasalho. Daí a popularidade de sua figura. Era baixo, entroncado e usava longas barbas que lhe cobriam o peito amplo. Com o tempo essa barba se fez branca e os amigos diziam que ele era tão bom, que se parecia com o imperador.

Batuíra era tão popular que foi citado em obras como: "História e Tradições da Cidade de São Paulo", de Ernani Silva Bueno; "A Academia de São Paulo - Tradições e Reminiscências - Estudantes, Estudantões e Estudantadas", de Almeida Nogueira; "A Cidade de São Paulo em 1900", de Alfredo Moreira Pinto. Escreveram ainda sobre ele J. B. Chagas, Afonso Schmidt, Paulo Alves Godoy e Zeus Wantuil.

Batuíra criou grupos espíritas em São Paulo, Minas Gerais e Estado do Rio, proferiu conferências espíritas por toda parte, criou a Livraria e Editora Espírita, onde se fez impressor e tipógrafo.

Referindo-se à sua desencarnação, Afonso Schmidt escreveu: Batuíra faleceu a 22 de Janeiro de 1909. São Paulo inteiro comove-se com o seu desaparecimento. Que idade tinha? Nem ele mesmo sabia. Mas o seu nome ficou por aí, como um clarão de bondade, de doçura, de delicadeza ao céu, dessas que se vão fazendo cada vez mais raras num mundo velho, sem porteira...

Em 14.07.2009.



Oferta do Grupo Espírita Batuíra - Rua Caiubí, 1306, Perdizes, São Paulo, SP.


Mensagem - Ermance Dufaux


Ermance Dufaux


Jamais desistir

Nenhum  de nós sentirá bem ante as faltas que podíamos ter evitado. No entanto, nesses momentos infelizes, recorramos ao amor que devemos a nós mesmos.
A intolerância e a culpa, a tristeza e a vergonha são efeitos da nossa incapacidade de aplicar o auto-amor. A cobrança e a severidade são os frutos amargos da sementeira que realizamos nos descaminhos da irresponsabilidade.

O tempo presente, porém, chama-nos para a lucidez moral. Compete-nos o perdão incondicional ante os dissabores com nossas atitudes.

Nesses momentos de pessimismo e tormenta interior, pacifiquemo-nos para começar de novo.

Começa indagando se algo te impede, definitivamente, de retomar a luta.

Depois, ora suplicando a extensão da misericórdia celeste. Muitos erros da caminhada servem para sentirmos quanto ainda somos suscetíveis à queda, e para reconhecermos com mais exatidão a extensão de nossa fragilidade.

Em seguida, faça um inventário de tuas vitórias e esforços. Perceberás o valor de continuar a batalha sem tréguas.

Após esses passos, retome o trabalho honesto, e o tempo se encarregará do restante.

Não existe ascensão espiritual sem tropeços e descuidos. Façamos o melhor que pudermos, mas na hora sombria e dilacerante do fracasso, pensemos em Deus e adotemos como norma: jamais desistir de lutar e buscar a felicidade, trabalhando, dia após dia, pelo reerguimento e pela reparação em favor da nossa paz.

Ermance Dufaux

Mensagem psicografada pelo médium Wanderley Soares de Oliveira, em 17 de novembro 2007, na SED – Sociedade Espírita Ermance Dufaux, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Fonte : Site da Sociedade Espírita Ermance Dufaux

terça-feira, 26 de abril de 2011

Reflexão em torno dos benefícios da oração e da água fluidificada - Instituto André Luiz




A  ÁGUA  FLUÍDA
Emmanuel

“E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria por ser meu discípulo, em verdade vos digo que, de modo algum, perderá o seu galardão”. Jesus (Mateus, 10:42)

Meu amigo, quando Jesus se referiu à benção do copo de água fria, em seu nome, não apenas se reportava à compaixão rotineira que sacia a sede comum.

Detinha-se o Mestre no exame de valores espirituais mais profundos.

A água é dos corpos o mais simples e receptivo da terra. É como que a base pura, em que a medicação do Céu pode ser impressa, através de recursos substanciais de assistência ao corpo e à alma, embora em processo invisível aos olhos mortais.

A prece intercessória e o pensamento de bondade representam irradiações de nossas melhores energias.

A criatura que ora ou medita exterioriza poderes, emanações e fluidos que, por enquanto, escapam à análise da inteligência vulgar e a linfa potável recebe a influência, de modo claro, condensando linhas de força magnética e princípios elétricos, que aliviam e sustentam, ajudam e curam.

A fonte que procede do coração da Terra e a rogativa que flui no imo d’alma, quando se unem na difusão do bem, operam milagres.

O Espírito que se eleva na direção do céu é antena viva, captando potências da natureza superior, podendo distribuí-las em benefício de todos os que lhe seguem a marcha.

Ninguém existe órfão de semelhante amparo. Para auxiliar a outrem e a si mesmo, bastam a boa vontade e a confiança positiva.

Reconheçamos, pois, que o Mestre, quando se referiu à água simples, doada em nome da sua memória, reportava-se ao valor real da providência, em benefício da carne e do espírito, sempre que estacionem através de zonas enfermiças.

Se desejas, portanto, o concurso dos Amigos Espirituais, na solução de teus problemas orgânicos ou dos problemas de saúde e equilíbrio dos companheiros, coloca o teu recipiente de água cristalina, à frente de tuas orações, espera e confia.

O orvalho do Plano Divino magnetizará o liquido, com raios de amor, em forma de bênção, e estarás, então, consagrando o sublime ensinamento do copo de água pura, abençoado nos Céus.

(Do livro "Segue-me!...", pelo Espírito Emmanuel, Francisco Cândido Xavier)

NOTA: O link abaixo contém a relação de livros publicados por Chico Xavier e suas respectivas editoras:http://www.institutoandreluiz.org/chicoxavier_rel_livros.html

Poema - Instituto André Luiz

SANTA ÁGUA
Benedito Rodrigues de Abreu*

Recordemos as virtudes de Santa Água!...
Água da chuva que fertiliza o solo,
Água do mar que gera a vida,
Água do rio que sustenta a cidade,
Água da fonte que mitiga a sede,
Água do orvalho que consola a secura,
Água da cachoeira que move a turbina,
Água do poço que alivia o deserto,
Água do banho que garante o equilíbrio,
Água do esgoto que assegura a higiene,
Água do lago que retrata as constelações,
Água que veicula o medicamento,
Água que é carícia, leite, seiva e pão, nutrindo o homem e a natureza,
Água do suor que alimenta o trabalho,
Água das lágrimas que é purificação e glória do espírito...
Santa Água é a filha mais dócil da matéria tangível,
Alongando os braços líquidos para afagar o mundo...
Água que lava,
Água que fecunda,
Água que estende o progresso,
Água que corre, simples, como sangue do Globo!...
Água que recolhe os eflúvios dos anjos
Em benefício das criaturas...
Se a dor vos bate à porta,
Se a aflição vos domina,
Trazei Santa Água ao vaso claro e limpo,
Orando junto dela...
E o rocio do Alto,
Em grânulos sutis,
Descerá das estrelas
A exaltar-lhe, sublime,
A beleza e a humildade...
E, sorvida por nós,
Santa Água conosco
Será saúde e paz,
Alegria e conforto,
Bálsamo milagroso
De bondade e esperança,
A impelir-nos à frente,
Na viagem divina
Da Terra para o Céu...

(Do livro "Instruções Psicofônicas", Benedito Rodrigues de Abreu, Francisco Cândido Xavier)
*Benedito Rodrigues de Abreu, poeta desencarnado no Estado de São Paulo. Comunicação dada em 3 de fevereiro de 1955, médium Francisco Cândido Xavier.

Fonte: Instituto André Luiz

Mensagem - Federação Espírita Brasileira

ESTAÇÕES NECESSÁRIAS


*
 “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.” — (ATOS, CAPÍTULO 3, VERSÍCULO 19.)
Os crentes inquietos quase sempre admitem que o trabalho de redenção se processa em algumas providências convencionais e que apenas com certa atividade externa já se encontram de posse dos títulos mais elevados, junto aos Mensageiros Divinos.

A maioria dos católicos romanos pretende a isenção das dificuldades com as cerimônias exteriores; muitos protestantes acreditam na plena identificação com o céu tão-só pela enunciação de alguns hinos, enquanto enorme percentagem de espiritistas se crê na intimidade de supremas revelações apenas pelo fato de haver freqüentado algumas sessões.

Tudo isto constitui preparação valiosa, mas não é tudo.

Há um esforço iluminativo para o interior, sem o qual homem algum penetrará o santuário da Verdade Divina.

A palavra de Pedro à massa popular contém a síntese do vasto programa de transformação essencial a que toda criatura se submeterá para a felicidade da união com o Cristo. Há estações indispensáveis para a realização, porqüanto ninguém atingirá de vez a eterna claridade da culminância.

Antes de tudo, é imprescindível que o culpado se arrependa, reconhecendo a extensão e o volume das próprias faltas e que se converta, a fim de alcançar a época de refrigério pela presença do Senhor nele próprio. Aí chegado, habilitar-se-á para a construção do Reino Divino em si mesmo.

Se, realmente, Já compreendes a missão do Evangelho, identificarás a estação em que te encontras e estarás informado quanto aos serviços que deves levar a efeito para demandar a seguinte.

Do livro Pão Nosso

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mensagem - Site Gotas de Paz

Forças do Mal

Todos dizem sonhar com um mundo melhor, onde haja mais fraternidade, solidariedade e amor entre os homens, porém, o que estamos fazendo para que isso aconteça um dia?

Cada acontecimento, cada tragédia, cada má notícia que recebemos através dos noticiários, ou trazidas por outras pessoas que nos cercam, são motivos de alarde, de pânico e terror. A desconfiança se apodera de cada um.


Todos sonham com um mundo melhor, porém não percebem que dão força e ênfase ao mal.


Quando alguém faz algo de bom pelo seu próximo ou quando acontece algo de bom, ninguém comenta.  

Notícia boa não dá ibope. Lá no fundo as pessoas se comprazem com a desgraça e a alimentam, pois fazem questão de tocar as feridas dos outros o tempo todo.

É assim que conseguiremos um mundo melhor? E o nosso mundo interior, como anda?

Percebam que a maior parte do tempo nos ligamos e cultivamos pensamentos negativos.

Raramente pensamos em coisas boas. Estamos sempre pensando no mal, revoltados e com espírito de vingança.  É óbvio que o mal parece prevalecer, pois somos nós próprios que o alimentamos com nossos pensamentos e atitudes.

Enquanto não buscarmos olhar para dentro de nós mesmos, modificando nossos pensamentos, padrão vibratório e sintonia, não conseguiremos a paz com que sonhamos. 

É por isso que captamos no ar uma energia pesada, sombria. Isso é resultado de muitos pensamentos negativos que circulam em toda a atmosfera.

Repensemos.  Ao Invés de estimularmos o mal com os comentários, com a crítica, a maledicência, façamos uma prece por aqueles que ainda insistem no erro para que retornem à razão, e roguemos a Deus  que nos ampare dando-nos força, coragem e bom ânimo para seguirmos nossa caminhada,sempre com pensamentos positivos.

Não nos esqueçamos ainda de que o mal é passageiro, e se ele parece não ter fim é porque nós o alimentamos.  Nosso Pai não quer a dor e o sofrimento para nós, mas sim que nos aprimoremos interiormente,  modificando os hábitos que não são saudáveis, buscando nossa reforma íntima. 

Esse é o caminho para erradicarmos o mal que há em nós, na humanidade e no Planeta. Jesus está conosco nesta luta, mas que cada um faça a sua parte também.

Fonte: Site Gotas de Paz

Mensagem - Federação Espírita Brasileira

FRATERNIDADE


*
"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros".- Jesus. (João, 13:35.)

      Desde a vitória de Constantino, que descerrou ao mundo cristão as portas da hegemonia política, temos ensaiado diversas experiências para demonstrar na Terra a nossa condição de discípulos de Jesus.

      Organizamos concílios célebres, formulando atrevidas conclusões acerca da natureza de Deus e da Alma, do Universo e da Vida. 

      Incentivamos guerras arrasadoras que implantaram a miséria e o terror naqueles que não podiam crer pelo diapasão da nossa fé. 

      Disputamos o sepulcro do Divino Mestre, brandindo a espada mortífera e ateando o fogo devorador.

      Criamos comendas e cargos religiosos, distribuindo o veneno e anejando o punhal.

      Acendemos fogueiras e erigimos cadafalsos, inventamos suplícios e construímos prisões para quantos discordassem dos nossos pontos de vista.

      Estimulamos insurreições que operaram o embate de irmãos contra irmãos, em nome do Senhor que testemunhou na cruz o devotamento à Humanidade inteira.

      Edificamos palácios e basílicas, famosos pela suntuosidade e beleza, pretendendo reverenciar-lhe a memória, esquecidos de que ele, em verdade, não possuía uma pedra onde repousar a cabeça.

      E, ainda hoje, alimentamos a separação e a discórdia, erguendo trincheiras de incompreensão e animosidade, uns contra os outros, nos variados setores da interpretação.

      Entretanto, a palavra do Cristo é insofismável.

      Não nos faremos titulares da Boa Nova simplesmente através das atitudes exteriores.

      Precisamos, sim, da cultura que aprimora a inteligência, da justiça que sustenta a ordem, do progresso material que enriquece o trabalho e de assembléias que favoreçam o estudo; no entanto, toda a movimentação humana, sem a luz do amor, pode perder-se nas sombras.

      Seremos admitidos ao aprendizado do Evangelho, cultivando o Reino de Deus que começa na vida íntima.

      Estendamos, assim, a fraternidade pura e simples, amparando-nos mutuamente... Fraternidade que trabalha e ajuda, compreende e perdoa, entre a humildade e o serviço que asseguram a vitória do bem. Atendamo-la, onde estivermos, recordando a palavra do Senhor que afirmou com clareza e segurança: - "Nisto todos conhecerão quesois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros."

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL

Fonte: Federação Espírita Brasileira

domingo, 24 de abril de 2011

Mensagem - Federação Espírita Brasileira

*

ANTE O OBJETIVO

"Para ver se de algum modo posso chegar à ressurreição." - Paulo.(FILIPENSES, 3 :11.)

      Alcançaremos o alvo que mantemos em mira:
      O avarento sonha com tesouros amoedados e chega ao cofre forte.
      O malfeitor comumente ocupa largo tempo, planificando a ação perturbadora, e comete o delito.
      O político hábil anseia por autoridade e atinge alto posto no domínio terrestre.
      A mulher desprevenida, que concentra as idéias no desperdício das emoções, penetra o campo das aventuras inquietantes.
      E cada meta a que nos propomos tem o preço respectivo.
      O usurário, para amealhar o dinheiro, quase sempre perde a paz.
      O delinqüente, para efetuar a falta que delineia, avilta o nome.
      O oportunista, para conseguir o lugar de mando, muitas vezes desfigura o caráter.
      A mulher desajuizada, para alcançar fantasiosos prazeres, abdica, habitualmente, o direito de ser
feliz.
      Se impostos tão pesados são exigidos na Terra aos que perseguem resultados puramente inferiores, que tributos pagará o espírito que se candidata à glória na vida eterna?
      O Mestre na cruz é a resposta para todos os que procuram a sublimidade da ressurreição.
      Contemplando esse alvo, soube Paulo buscá-lo.
através de incompreensões, açoites, aflições e pedradas, servindo constantemente, em nome do Senhor.
      Se desejas,. por tua vez, chegar ao mesmo destino, centraliza as aspirações no objetivo santificante e segue, com valoroso esforço, na conquista do eterno prêmio.

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL


Dicas para a saúde

OS DEZ PIORES ALIMENTOS


OS 10 PIORES ALIMENTOS DE TODOS OS TEMPOS

Que atire a primeira pedra quem não se rende a um fast food, salgadinho, pizza, refrigerante ou cachorro-quente e depois fica preocupado com as calorias que ingeriu. Mas o que pouca gente sabe é que os perigos desses alimentos vão muito além da questão estética e podem ser um risco para a saúde. Para esclarecer esses problemas, a nutricionista Michelle Schoffro Cook listou os dez piores alimentos de todos os tempos.

10º lugar: Sorvete


Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.

9º lugar: Salgadinho de milho


De acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento por causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor, ganho de peso, irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios.

8º lugar: Pizza


Michelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue.

7º lugar: Batata frita


Batatas fritas contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, como também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite.

6 lugar: Salgadinhos de batata


Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena.

5º lugar: Bacon


Segundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão.

4º lugar: Cachorro-quente


Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebes. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal.

3º lugar: Donuts (Rosquinhas)


Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essa substância está relacionada a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contém, em média, 300 calorias cada.

2º lugar: Refrigerante


Michelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr. Joseph Mercola, “uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos”. “Somente isso já deveria fazer você repensar seu consumo de refrigerantes”, diz a nutricionista.

Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 30 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, ela informa que os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas.

1º lugar: Refrigerante Diet


“Refrigerante Diet é a minha escolha para o Pior Alimento de Todos os Tempos”, diz Michelle. Segundo a nutricionista, além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte.

“Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio. É por isso que eu dou ao Refrigerante Diet o prêmio de Pior Alimento de Todos os Tempos”, conclui.


Via: EcoD