Nosso endereço

Início da Estrada do 53º BIS, s/nº ( Ao lado do IBAMA) Bairro Bom Jardim - Itaituba - PA. CEP: 68180-000

E-mail: ceacaminhodaluz2011@gmail.com

Site: http://www.ceacluz.com.br



sexta-feira, 8 de junho de 2012

Mensagem Espírita - O mundo e o mal - Site Momento Espírita

O mundo e o mal



Em certo trecho do Evangelho, Jesus faz uma longa oração pelos Seus discípulos.

Nessa oração, Ele pede a Deus que não os tire do mundo, mas que os livre do mal.

Esse trecho da prece do Cristo suscita as mais interessantes reflexões.

Nos centros religiosos, há sempre grande número de pessoas preocupadas com a ideia da morte.

Muitas não creem na paz, nem no amor, senão em planos diferentes da Terra.

A maioria aguarda situações imaginárias e injustificáveis em seu futuro espiritual.

Nessa expectativa de um amanhã rosado e glorioso, esquecem o esforço próprio.

Não fazem o possível para tornar melhor o mundo em que vivem.

Olvidam a bênção do trabalho, da disciplina e da perseverança.

Envolvem-se o mínimo possível com o sofrimento alheio.

Parecem achar que a vida na Terra é simplesmente algo a ser suportado.

Quanto antes passar, da forma mais automática possível, mais rapidamente entrarão na posse de uma felicidade perfeita.

Contudo, o anseio de morrer para ser feliz é enfermidade do Espírito.

Afinal, orando ao Pai por Seus discípulos, Jesus não rogou para que fossem retirados do mundo.

Pediu apenas que fossem libertos do mal.

Trata-se de um eloquente sinal de que o importante para as criaturas não consiste em trocar de domicílio.

Na Terra ou no Plano Espiritual, continuam as mesmas.

O mal, portanto, não é essencialmente do mundo, mas das criaturas que o habitam.

A Terra, em si, sempre foi boa.

De sua lama, brotam lírios de delicado aroma.

Sua natureza maternal é repositório de maravilhosos milagres que se repetem todos os dias.

De nada adianta alguém partir do planeta, quando seus males não foram exterminados convenientemente.

Em tais circunstâncias, a imensa maioria dos homens se assemelha aos portadores das chamadas moléstias incuráveis.

Podem trocar de residência.

Mas a mudança é quase nada, se as feridas os acompanham.

O relevante é embelezar o mundo e aprimorá-lo.

E isso se realiza mediante a transformação moral dos homens.

Nessa linha, cada ser humano é colocado no melhor contexto para que se aperfeiçoe.

Então, você não precisa morrer e nem mesmo trocar de vizinhança, de emprego, de família ou de país para ser feliz.

Necessita, sim, ser digno e generoso onde quer que a vida o tenha colocado.

Precisa aprender a perdoar e a dar de si, em vez de reclamar auxílio dos outros.

Quando se tornar trabalhador, desprendido, leal e bondoso, viverá em paz em qualquer ambiente.

Ainda que desafiado por fatores externos, possuirá um pedaço do céu em seu coração.

Pense nisso.
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 30 do livro Caminho,
Verdade e Vida, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido
Xavier, ed. FEB.

Em 01.06.2012

Poesia - Aflições - Cida Maia Oliveira

CidaMaiaOlveira
Campo Grande/MS



Fonte: Site Gotas Poéticas

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Mensagem Espírita - NÃO TE PERTURBES - Site da Federação Espírita Brasileira

NÃO TE PERTURBES

*


"E o mandamento que era para a vida, achei eu que me era para a morte".- Paulo. (ROMANOS, 7:10).

Se perguntássemos ao grão de trigo que opinião alimenta acerca do moinho, naturalmente responderia que dentro dele encontra a casa de tortura em que se aflige e sofre; no entanto, é de lá que ele se ausenta aprimorado para a glória do pão na subsistência do mundo.
     
Se indagássemos da madeira, com respeito ao serrote, informaria que nele identifica o algoz de todos os momentos, a dilacerar-lhe as entranhas; todavia, sob o patrocínio do suposto verdugo, faz-se delicada e útil para servir em atividades sempre mais nobres.
     
Se consultarmos a pedra, com alusão ao buril, certo esclarecerá que descobriu nele o detestável, perseguidor de sua tranqüilidade, a feri-Ia, desapiedado, dia e noite; entretanto, é dos golpes dele que se eleva aos tesouros terrestres, aperfeiçoada e brilhante.
     
Assim, a alma. Assim, a luta.
     
Peçamos o parecer do homem, quanto à carne, e pronunciará talvez impropriedades mil. Ouçamo-lo sobre a dor e registraremos velhos disparates verbais. Solicitemos-lhe que se externe com referência à dificuldade, e derramará fel e pranto.
     
Contudo, é imperioso reconhecer que do corpo disciplinado, do sofrimento purificador e do obstáculo asfixiante, o espírito ressurge sempre mais aformoseado, mais robusto e mais esclarecido para a imortalidade.
     
Não te perturbes, pois, diante da luta, e observa.
     
O que te parece derrota, muita vez é vitória. E o que se te afigura em favor de tua morte, é contribuição para o teu engrandecimento na vida eterna.

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Poesia - Lâmpadas Fraternais - Cida Maia Oliveira

Lâmpadas Fraternais

CidaMaiaOliveira
Campo Grande/MS


Deixes acesas as lâmpadas do amor fraterno
Banindo o inverno do coração doentio
E o arrepio dos medos que obsidiam a alma;
Mantenhas a calma e a beleza que em ti habitam!


Conserves vivas, as chamas da união amiga;
Liberta-te da intriga e do desamor  que incitas
e não insistas em te apartar do ditoso bem
- não sejas refém da discórdia e da vingança!

Sejas como o barco a navegar sobre a bonança
Do mar, vindo e voltando aprendendo a retornar;
Sondes teus pensamentos persistentes... vazios.


Não percas a razão por um fio, saias da nostalgia;
Elejas a alegria e os fortes abraços fraternais, e,
Não te permitas jamais, ofuscar dos irmãos... os dias!

Fonte: Site Gotas Poéticas

terça-feira, 5 de junho de 2012

Mensagem Espírita - ACEITA A CORREÇÃO - Federação Espírita Brasileira

ACEITA A CORREÇÃO

*

"E, na verdade, toda correção, no presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela".- Paulo. (HEBREUS, 12:11).

A terra, sob a pressão do arado, rasga-se e dilacera-se, no entanto, a breve tempo, de suas leiras retificadas brotam flores e frutos deliciosos.
    
A árvore, em regime de poda, perde vastas reservas de seiva, desnutrindo-se e afeando-se, todavia, em semanas rápidas, cobre-se de nova robustez, habilitando-se à beleza e à fartura.
    
A água humilde abandona o aconchego da fonte, sofre os impositivos do movimento, alcança o grande rio e, depois, partilha a grandeza do mar.
    
Qual ocorre na esfera simples da Natureza, acontece no reino complexo da alma.
    
A corrigenda é sempre rude, desagradável, amargurosa; mas, naqueles que lhe aceitam a luz, resulta sempre em frutos abençoados de experiência, conhecimento, compreensão e justiça.
    
A terra, a árvore e a água suportam-na, através de constrangimento, mas o Homem, campeão da inteligência no Planeta, é livre para recebê-la e ambientá-la no próprio coração.
    
O problema da felicidade pessoal, por isso mesmo, nunca será resolvido pela fuga ao processo reparador.
    
Exterioriza-se a correção celeste em todos os ângulos da Terra.
    
Raros, contudo, lhe aceitam a bênção, porque semelhante dádiva, na maior parte das vezes, não chega envolvida em arminho, e, quando levada aos lábios, não se assemelha a saboroso confeito.

Surge, revestida de acúleos ou misturada de fel, à guisa de remédio curativo e salutar.
    
Não percas, portanto, a tua preciosa oportunidade de aperfeiçoamento.
    
A dor e o obstáculo, o trabalho e a luta são recursos de sublimação que nos compete aproveitar.

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL 

Fonte:  FEB - Federação Espírita Brasileira - SGAN 603 - Conjunto F - Av. L2 Norte - Brasília - DF - CEP 70.830-030 - Telefone: (61) 2101 6161

Seminário Espírita - Amar Plenamente - Alberto Almeida

Seminário Transpessoal  AMAR PLENAMENTE!
O que me limita? Quem me impede?

LOCAL: CENTUR         DIA: 11/06/2012         HORA: 19hs

FACILITADOR: Alberto Almeida

OBJETIVOS:
- identificar as negatividades que parecem amor, mas não o são;
- refletir como transformar estas negatividades em amor;
- perceber como ampliar os diferentes tipos de amor.

REALIZAÇÃO:
Jardim das Oliveiras (www.jardimdasoliveiras.org /
www.facebook.com/jardimdasoliveiras)

INVESTIMENTO: - Antecipado: R$ 30,00    - No dia: R$ 35,00

INSCRIÇÕES:
Boulevard Café Belém – Shopping Boulevard – 3345-3472
Centro Espírita Yvon Costa – Trav. Castelo Branco, 870
Essência – Av. Duque de Caxias, 1322 – 3276-3217
União Espírita Paraense- Av. Osvaldo Cruz, 45

Farmácias homeopáticas
Arte de Curar: Rua Antonio Barreto, 1095 – 3226-6266
Arte e Vida – Trav. 14 de Março, 1162 – 3223-0729
Favo de Mel – Av. Almirante Barroso, 718 – 3226-8658
Homeobel – Av. Serzedelo Correa, 239 – 3223-8998

INFORMAÇÕES: 3222-2233 / 3276-3217 / 8802-0364

O recurso financeiro obtido será destinado integralmente às obras assistenciais do Jardim das Oliveiras.

domingo, 3 de junho de 2012

Artigo Espírita - O SIGNIFICADO DO SOFRIMENTO - Site da Rede Amigo Espírita

O SIGNIFICADO DO SOFRIMENTO
Sergito de Souza Cavalcanti




     O sofrimento é útil, bendito, um elemento absolutamente necessário para nossa evolução. Se não existisse a dor, nosso progresso seria infinitamente mais lento.

     Nossas dores, tropeços, erros e problemas, no fundo, são os maiores agentes de nosso progresso. São testes que a Divina Providência coloca em nosso caminho para aquilatar nossa capacidade de paciência e resignação.

     Bendiga suas dificuldades. Por meio delas aprendemos, nos esclarecemos e aumentamos nossa fé em Deus. Ninguém progride sem luta, sem sofrimento, sem resignação.

     Francisco de Assis sempre se referia à dor como sua irmãzinha querida, porque sabia do seu poder e utilidade. Paulo de Tarso sempre se referia, em suas cartas, aos aguilhões que o machucavam e o faziam sofrer, mas, como Francisco de Assis, entendia sua dor e podia dizer inspirado: “Transbordo de júbilo no meio de todas as minhas atribulações” (II Cor. 7-4 ).

     fase evolutiva em que vivemos, todos sofrem. A história da humanidade é uma imensa cadeia de sofrimentos, tanto de ordem física como moral. O sofrimento é um apanágio do planeta em que vivemos. Aqui sofre o rico, o pobre, o que mora no palácio e o que mora na choupana, o branco, o índio, enfim, todos sofrem, uns mais outros menos. Entramos na vida chorando e sairemos dela gemendo.

     Por que sofremos tanto? Sofremos muito porque erramos muito. E ainda erramos muito movidos por nossa ignorância. Somos mais ignorantes do que maus. O sofrimento, pois, é conseqüência do mal; o mal é conseqüência de nossa ignorância.

     Há um ditado que diz: “Quem não quiser andar de braços dados com Jesus andará de braços dados com a dor, e essa dor é tão amiga do homem errado que jamais o abandona enquanto voluntariamente não voltar para os braços de Jesus”.

     Aceitemos, pois, nossas dores com muita humildade e resignação. Saibamos, no entanto, sofrer e retirar da dor tudo o que ela possa nos ensinar. Ninguém sofre sem merecer. Se sofre muito é porque erra ou errou muito. Nossos erros advêm de nossa ignorância espiritual. Se todos soubessem por que sofrem, este mundo seria mais ditoso.

      Há uma grande verdade  que não podemos nos esquecer: “o que plantamos temos de colher”.  Paulo, em sua carta aos Gálatas, afirma: “Não queiras errar; de Deus não se zomba, porque aquilo que o homem semear isso também colherá”( Gl.6-7 ).

     Colhemos aquilo que plantamos. Ninguém padece sem justa razão, pois Deus não permitiria. O homem é herança de si mesmo, portanto, se é escravo do ontem é dono do amanhã.

     Aceitemos nossas provações sem revolta nem reclamações. Sendo Deus a suprema justiça, não permitiria que alguém sofresse sem merecer. Portanto, se alguém sofre justa há de ser a causa de seu sofrimento, e somente a preexistência do espírito pode explicar a desigualdade na repartição do bem e do mal entre os homens.

     Nas venerandas páginas da Bíblia encontramos a história de Jó:

     “Vivia na terra de Huz um homem por nome Jó, que era irrepreensível e homem de bem, que temia a Deus e evitava o mal. Tinha sete filhos e três filhas. Possuía 7.000 ovelhas, 3.000 camelos, 500 juntas de novilhas, 500 jumentos, além de numerosos fâmulos. Era mais rico que todos os filhos do Oriente. Mas eis que desaba sobre esse homem piedoso e bom a mais tremenda catástrofe!

     Perdeu todos os seus haveres. Pereceram-lhe todos os filhos. E ele mesmo se viu coberto de lepra, da cabeça aos pés. Ficou-lhe apenas, como desgraça viva e perene, a mulher insensata e descaridosa.

     Sentou-se, então, o milionário, subitamente reduzido a mendigo, sobre um monturo e, com o caco de um vaso partido, última relíquia da sua fortuna, raspava o pus que lhe escorria das fétidas chagas.

     E dizia Jó em meio a sua dor:

     “Nu saí do seio de minha mãe...

     Nu voltarei ao seio da terra...

     O Senhor me deu...

     O Senhor me tirou...

     Bendito seja o nome do Senhor...”

     A atitude de compreensão de Jó diante da grande tragédia que se abateu sobre sua vida demonstra a grandeza e a evolução do seu espírito. Entendeu, sem revolta, o porquê do sofrimento e soube, assim, sofrer com resignação, teve calma, paciência e não se desesperou.”


Sergito de Souza Cavalcanti

Naturalidade: Belo Horizonte - MG

Profissão: Veterinário e Ex-professor da Escola de Veterinária da UFMG,

Espiritismo: Milita no movimento espírita mineiro desde 1970, quando se integrou ao Grupo Espírita Irmã Scheilla, sendo um de seus diretores e ex-conselheiro. Foi um dos fundadores do Grupo Espírita de Fraternidade ‘Albino Teixeira”, em Belo Horizonte da Fraternidade Espírita José Grosso de Córdoba (Espanha) e do Grupo Kardecista Fraternidade Eterna, da cidade de Inhaúma. Monitor de cursos de evangelho e expositor espírita.
 Instituição Espírita: Grupo Espírita de Fraternidade Albino Teixeira (Gefrater) e Grupo Kardecista Fraternidade Eterna de Inhaúma (Gefraterna)
 Atuação: Dirigente de reunião pública, integrante de reunião mediúnica. Expositor e escritor espírita.

Livros publicados:

- Acalanto (Contos e crônicas)

- Além das Estrelas (Estudo)

- Emaús (Série Evangelho)

- Essência de Nardo  (Contos e crônicas)

- Fraternidade eterna (Contos e crônicas)

- Getsêmani (Série Evangelho)

- Salido (Infato-Juvenil)

- Sândalo (Auto-ajuda)

- O sonho de Maíra (Infantil)

- Rabboni (Série Evangelho)

- Zequinha, o menino de rua (Infanto-Juvenil

 
Blog:
http://www.sergitocavalcanti.blogspot.com.br/

E-mail:
sergitocavalcanti@hotmail.com

Fonte: Site da Rede Amigo Espírita

Mensagem Espírita - FRATERNIDADE - Site da Federação Espírita Brasileira

FRATERNIDADE

*


"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros".- Jesus. (João, 13:35.)

Desde a vitória de Constantino, que descerrou ao mundo cristão as portas da hegemonia política, temos ensaiado diversas experiências para demonstrar na Terra a nossa condição de discípulos de Jesus.
     
Organizamos concílios célebres, formulando atrevidas conclusões acerca da natureza de Deus e da Alma, do Universo e da Vida.
     
Incentivamos guerras arrasadoras que implantaram a miséria e o terror naqueles que não podiam crer pelo diapasão da nossa fé.
     
Disputamos o sepulcro do Divino Mestre, brandindo a espada mortífera e ateando o fogo devorador.
     
Criamos comendas e cargos religiosos, distribuindo o veneno e anejando o punhal.
     
Acendemos fogueiras e erigimos cadafalsos, inventamos suplícios e construímos prisões para quantos discordassem dos nossos pontos de vista.
     
Estimulamos insurreições que operaram o embate de irmãos contra irmãos, em nome do Senhor que testemunhou na cruz o devotamento à Humanidade inteira.
     
Edificamos palácios e basílicas, famosos pela suntuosidade e beleza, pretendendo reverenciar-lhe a memória, esquecidos de que ele, em verdade, não possuía uma pedra onde repousar a cabeça.
     
E, ainda hoje, alimentamos a separação e a discórdia, erguendo trincheiras de incompreensão e animosidade, uns contra os outros, nos variados setores da interpretação.
     
Entretanto, a palavra do Cristo é insofismável.
     
Não nos faremos titulares da Boa Nova simplesmente através das atitudes exteriores.
     
Precisamos, sim, da cultura que aprimora a inteligência, da justiça que sustenta a ordem, do progresso material que enriquece o trabalho e de assembléias que favoreçam o estudo; no entanto, toda a movimentação humana, sem a luz do amor, pode perder-se nas sombras.
     
Seremos admitidos ao aprendizado do Evangelho, cultivando o

Reino de Deus que começa na vida íntima.
     
Estendamos, assim, a fraternidade pura e simples, amparando-nos mutuamente... Fraternidade que trabalha e ajuda, compreende e perdoa, entre a humildade e o serviço que asseguram a vitória do bem.

Atendamo-la, onde estivermos, recordando a palavra do Senhor que afirmou com clareza e segurança: - "Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros."

Do livro FONTE VIVA
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
DITADO PELO ESPÍRITO EMMANUEL